16 de abril de 2009

Missões e Sua Realidade

Não pode haver nada mais importante que o crescimento da obra missionária dentro da Igreja. É compensador vermos a Igreja recebendo novos membros, como resultado de um trabalho profícuo. Porém, muitos, dentro da Igreja, não pensam o quanto pesa a responsabilidade de tal obra. Muitos líderes de igreja locais, inclusive, desprezam o significado da Grande Comissão. Nossa geração de cristãos está sendo desafiada para sair a pregar o Evangelho no mundo todo. Por que desafiada?

Vejamos o que acontece no mundo: Satanás se julga dono da humanidade, escravizando-a através de crimes, violência, mortes, sendo que milhões de seres humanos ainda se comprometem com ele. O mundo perdido somente conhecerá a liberdade através de Jesus se existirem na Igreja quem se anime a pregar o Evangelho por toda parte. Quem irá? Quem pregará? Quem estará disposto a sacrificar as coisas materiais, os interesses próprios, a sacrificar a própria vida pela salvação das almas? Deus nos confiou tal missão! Nós, os crentes, somos responsáveis pela evangelização desta humanidade perdida. A humanidade está mergulhada num verdadeiro caos. A fome é um dos maiores flagelos. Secas, inundações têm feito muitas vítimas em várias partes da terra. Há ausência de temor a Deus. Há perda dos princípios morais e aceitação unânime do pecado. Os lares estão fracassados. Há desrespeito às autoridades. Há ilegalidade, ódio, desespero, mentira, engano. Muitos se entregam ao ocultismo. Muitos cultuam a Satanás e aos demônios. Muitos entregam suas mentes ao controle das trevas. Tudo com o fim de os homens se desviarem da Verdade.

Milhões de dólares são gastos nas missões muçulmanas, para que o islamismo ganhe o mundo. Muitos de nossos irmãos, contrariados com o Ide de Jesus, só enxergam os lados negativos que acontecem na obra missionária. Esquecem-se que nessa organização (que é humana, e por ser humana!) acontecem falhas! Por que não vêem o quê o Senhor deseja da Igreja?

O Evangelho é uma mensagem celestial que revela o interesse intenso de Deus em querer redimir o homem perdido. O homem está marcado pelo pecado e pela morte. Deus convida-o a fazer parte da família dos redimidos. Muitas vezes não contemplamos com eficiência a necessidade de se fazer missões.

Em um artigo publicado no Jornal de Oração da Cruzada Mundial de Literatura, Denys Blackmore assim se expressa: “Recentemente li um esboço de sermão publicado há 20 anos atrás. Um dos subtítulos do artigo era uma pergunta que eu não consegui tirar da minha mente: ‘Por que ainda não evangelizamos o mundo?’. O esboço trazia dados estatísticos, dados estes que hoje (1997) estão muito ultrapassados, mas ajudam a provar uma grande verdade:

Não nos falta dinheiro - no ano passado (1976) os cristãos só da América do Norte gastaram dinheiro suficiente em templos e construções que daria para imprimir dois folhetos para cada casa em 180 mundos do tamanho do nosso!

Não nos falta mão-de-obra - mais de 400 mil alunos têm se formado em seminários e institutos bíblicos nos últimos anos e há, certamente, muitos outros obreiros e voluntários à disposição para realizar a obra.

Não nos falta capacidade - todos os meses a revista Seleções usa papel e tinta que seriam suficientes para preparar uma publicação evangélica de 16 páginas para cada casa em 3 mundos iguais ao nosso! Se uma revista secular tem um gasto deste todos os meses, será que a Igreja não poderia fazê-lo pelo menos uma vez na história?

Falta-nos visão! - a questão se afunila nesta realidade – visão. Visão para fazer o que fomos comissionados para fazer: alcançar cada criatura”.

Um comentário:

  1. olá gostei do seu blog muito legal.visite os meus blogs http://diaconisafatima.blogspot.com e http://fatinhafilhadodeusaltissimo.blogspot.com ou pesquise no google Amada de Deus ou Fatima Soares

    ResponderExcluir