11 de dezembro de 2009

ASAS DE SOCORRO

Após a Segunda Guerra Mundial, alguns pilotos cristãos, decidiram utilizar o avião, não mais como arma de destruição, mas sim, em missões. Muitos começaram simultaneamente, em países como Austrália, Inglaterra e Estados Unidos. Eles formaram pequenas organizações, que cresceram rapidamente. Em 1947, resolveram unificar o nome das entidades como Missionary Aviation Fellowship (MAF), embora continuassem autônomos.

No Brasil, não foi diferente do resto do mundo. Quando as missões brasileiras tomaram conhecimento do trabalho da MAF, lançaram um apelo para que viessem atuar no Brasil. A MAF já estava no México, Equador e Honduras, chamada “Alas de Socorro”. Em 1954, os diretores dessas entidades decidiram buscar meios de atender aos missionários brasileiros e enviaram para cá, o missionário James Truxton e sua esposa. Eles planejaram a criação de ASAS DE SOCORRO, fazendo uma viagem de pesquisa para Goiás, Mato Grosso e Amazônia.

James Lomheim e Harold Berk foram os dois primeiros pilotos-mecânicos que aqui chegaram, juntamente com suas famílias, em 1955, enviados pela MAF. Depois de quase um ano estudando a língua portuguesa, eles adquiriram, em 1956, um avião Piper PA-22, que havia sido acidentado, e o recuperaram, lentamente, no quintal de suas casas, até que, em 1957, estava pronto para os primeiros vôos, tendo como base de operação Cuiabá (MT). Nesse mesmo ano, um terceiro piloto-mecânico, Paul Lewis, chegou ao Brasil, para se estabelecer em Anápolis (GO) e fundar uma oficina de manutenção de aviões de Asas de Socorro. Outro piloto, Eldon Larsen, iniciava o transporte aéreo de missionários com um outro avião, o Piper PA-14 Cruisier, em Roraima.

Com os serviços prestados às missões evangélicas crescendo rapidamente, e as bases de operações estabelecidas, Asas de Socorro foi reestruturada e registrada como entidade brasileira, filantrópica e sem fins lucrativos, em 7 de Dezembro de 1964.

Após alguns anos, Asas de Socorro percebeu novas necessidades e com isso expandiu sua área de atuação. Em 1968 foi criada pelo piloto-mecânico Paul Lewis, a Oficina Aeronáutica, com o propósito inicial de dar assistência somente aos aviões da organização. Com o passar dos anos o trabalho da Oficina estendeu-se a outras organizações e missões coirmãs. Hoje além da manutenção dos aviões é utilizada também para o treinamento dos nossos alunos pilotos/mecânicos.

Com o tempo, aprendemos que mais que máquinas colocadas no serviço, eram necessárias pessoas capacitadas e treinadas para a aviação. Com esta visão foi criada em 1972 a Escola de Aviação de Asas de Socorro, homologada pelo Departamento de Aviação Civil (antigo DAC) com dependências próprias e professores com vasta experiência no ramo. A escola de aviação tem formado dezenas de pilotos e mecânicos. Todo este trabalho não teria fundamento se o alvo não fosse promover a valorização social e ética do ser humano.

Em 1985, fiel à sua visão de atender, tanto as necessidades espirituais, quanto as materiais dos povos isolados, Asas de Socorro iniciou, o projeto de Assistência Médica Dentária e Evangelística (AMDE). No dia 24 de junho daquele ano, inspirada no trabalho do reverendo Alberto Reasoner, da Missão Presbiteriana - que na sua época já atendia 30 localidades no sertão de Goiás, com seu Cessna 182. A primeira clínica do AMDE partiu para as comunidades de Vila Borba, Araí e Limoeiro, no interior de Goiás, e para as aldeias de Aukra e Kubenkranken, no interior do Pará, com a equipe composta pelo médico Porfírio de Andrade Neto, o dentista Jolian Sampaio, a enfermeira Cristiane Pinto Ferreira e o piloto Lelis Fachini Filho.

Desde então o Projeto AMDE multiplicou consideravelmente sua esfera de ação para os estados de Goiás, Tocantins, Pará, Amapá, Amazonas, Roraima e Acre. Em sua história, criou condições para que diversas igrejas fossem fundadas em locais onde as pessoas nunca tinham ouvido falar do Evangelho. Muitas pessoas dessas comunidades foram treinadas como agentes de saúde. Ao se converterem, passaram, não só a salvar as vidas com o seu trabalho de atendimento emergencial e sanitário, como também a testemunhar da nova vida que receberam em Cristo. O Projeto AMDE tem sido também um grande fator de mobilização da igreja brasileira.

Seguindo a mesma visão a organização criou o curso Ferramentas para líderes, que que visa alcançar a liderança local de populações isoladas, procurando trabalhar o caráter do líder local e do cidadão comum, tornado-os cidadãos conscientes. O trabalho é desenvolvido através de cursos e palestras com temas específicos para esta finalidade.

Após anos de assistência na região norte, Asas de Socorro estendeu seu trabalho, alcançando agora o povo nordestino. Normalmente realizado nas férias de julho, o Projeto IDE visa despertar na juventude evangélica o desejo de servir o próximo, permitindo assim que seus participantes vivam experiências sociais de curto prazo. O alvo é alcançar a região nordeste do Brasil onde o projeto realiza parcerias com organizações e governos municipais.

Asas de Socorro se alegra em saber que através dos aviões e dos dons de cada integrante, colabora para a busca e restauração da dignidade de muitos povos indígenas, ribeirinhos e sertanejos, que vivem isolados e destituídos do direito à cidadania.

(www.asasdesocorro.org.br)

Um comentário:

  1. Sou pintor de aeronaves . estou a procura de servisos. Contato 063 92079728 whats
    Ja trabalhei no asa na decada de 90 .

    ResponderExcluir